A POSTURA DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO MEDIANTE A IMPOSSIBILIDADE TERAPÊUTICA

Antonio da Silva, Elaine Cristina de Sales Silva, Flávia dos Santos Lugão de Souza

Resumo


Necessário se faz discutir qual será a melhor postura para o profissional que será convocado a exercer funções que muitas vezes não são suas. A morte apesar de fazer parte da vida é um assunto que ainda amedronta pelo desconhecido que traz consigo. enfermeiro é um ser humano com mitos, medos e ainda um limitado conhecimento no que tange ao relacionamento terminalidade/morte. Detém conhecimentos técnico-científicos, mas falta-se preparo psicoemocianal. Essa lacuna acaba por se refletir no campo de trabalho, onde então abre-se o duelo entre o conhecimento e a fragilidade humana .OBJETIVOS: Por “objetivos” de pesquisa pode-se entender o que se quer atingir. Através de um levantamento bibliográfico buscou-se conhecer a relação do profissional enfermeiro com morte; Descrever a postura comportamental e psicoemocional do enfermeiro mediante a impossibilidade terapêutica; Esclarecer a relevância de uma postura mais humana além de mostrar a urgente necessidade de uma disciplina na grade curricular da enfermagem que ajude os alunos a se preparar para lidar com a morte

Palavras-chave


Profissional enfermeiro; impossibilidade terapêutica; Morte

Texto completo:

PDF


 

CompatilharCompartilharCompartilhar


VISITANTES ONLINE

Revista Educação, Meio Ambiente e Saúde © Copyright 2014-2016 - FAF;